!DOCTYPE html PUBLIC "-//W3C//DTD XHTML 1.0 Transitional//EN" "http://www.w3.org/TR/xhtml1/DTD/xhtml1-transitional.dtd"> Calma Penada: Agosto 2006

Calma Penada


«O optimismo é uma preguiça do espírito». E. Herriot. + «Uma assombração que se preza não pode ser preguiçosa. Buuuh!». O Fantasma do Misantropo.


quinta-feira, agosto 31, 2006

A Cegueira das Testemunhas

.


Ainda não havia a CNN. Neste dia de 1980, penso, os estudantes liceais mais politizados que nós éramos atiravam-se à rádio e, no dia seguinte, aos jornais estrangeiros, para obter notícias do sindicato Solidariedade, fundado na Polónia contra os Comunistas. Todos persebíamos que dali viriam sarilhos para o inimigo, embora não tivéssemos noção de que seria o princípio do fim, o detonador da desagregação. Ainda não sabíamos que a colectivização, na Polónia, operara em dimensão muito menor do que no resto dos Países-satélite da URSS. E só intuitivamente ligávamos a nova força à nacionalidade do Papa. Uma dúzia de anos depois, a velocidade dos acontecimentos tinha ultrapassado as nossas esperanças, mostrando que a prosápia dos observadores desarmados nada é ou pode, confrontada com a marcha da História. E também não prevíamos que fosse o proletariado a destruir o marxismo institucionalizado. Mas foi.

quarta-feira, agosto 30, 2006

Um Fim

.


Com «Fim da Estrada», de Kenny Brown, gostaria de explicitar a minha tristeza pelo desaparecimento do jornal «O Independente». Por muitas objecções que me despertasse a linha editorial dos últimos tempos, não esqueço que lá escrevi. E que, em tempos anteriores a esse irrelevante facto, emergiu no panorama da Imprensa portuguesa como uma quebra do exclusivo informativo semanal de um pequeno grupo transitado do Marcelismo para o Abrilismo.

terça-feira, agosto 29, 2006

Das Fraquezas Forças

A Guerra do Iraque é impopular na América? Será. Mas não tanto que a Administração tenha por isso abdicado de a elevar a primeiro tema de campanha. As verdadeiras fraquezas são os temas embaraçosos que obrigam os políticos a fugir, não os polémicos que forçam os adversários a debater. Que, sendo um conflito externo, põe sempre os adversários dele na incómoda situação de favorabilidade ao Inimigo, ao menos nos povos jovens que ainda não se cansaram de lutar ou em que não predomina a imperatividade de compreender as razões do Outro. Não sei se os apoiados pelo Presidente Bush vão ou não ganhar as próximas eleições de meio de mandato. Mas estou certo de que se a temática dominante fosse qualquer que não esta, ficariam em muito pior situação.

segunda-feira, agosto 28, 2006

Cangurus Indignos

A inenarrável conduta dos militares australianos no episódio sórdido do strip imposto a polícias timorenses mais não faz do que reafirmar um padrão de conduta já encetado aquando do episódio da detenção da viatura diplomática em que viajava o Duque de Bragança e da tentativa de humilhação do GOP que o escoltava, ao intimá-lo a entragar a arma. É evidente que, somados, os casos têm o significado de que cada autoridade só pode actuar na medida em que a força da ex-colónia penal britânica o permita. É aí que ganha credibilidade a ideia de que a violência da Juventude de Dili esteja ao serviço de Camberra: é a justificação de maior notoriedade para o prolongamento da presença dos militares todo-poderosos da potência regional. E há antecedentes, nas milícias guterristas, serventuárias da Indonésia.
Hoje serão os filhotes na bolsa do grande marsopial. Ou no bolso, digo.

domingo, agosto 27, 2006

Abuso do Direito

As declarações da Secretária Britânica das Comunidades, Ruth Kelly, no sentido de serem fechadas as escolas islâmicas que propaguem ideias de isolacionismo hostil, face à sociedade de acolhimento, demonstra, finalmente, tenção de atalhar preventivamente o terrorismo, que não somente pela repressão do crime, necessariamente posterior ao mal feito. O sagrado direito da Liberdade de Ensino deve ser combinado com a interdição do seu abuso, como é, indubitavelmente, o fomento de ódios civilizacionais comparáveis à mordedura da mão que alimenta. É sempre melhor vacinar do que recorrer a cirurgias extremas.

sábado, agosto 26, 2006

Saudade

.


Nem Nosso Senhor Jesus Cristo conseguiu agradar a toda a gente! Também ela teve livritos a quebrar o unanimismo, acusando-a de «autoritária, anti-semita e teologicamente ultraconservadora», com criatividade e inversão da excelência de qualidades mais do que bastante. E, no entanto, se Alguém há merecedor de gratidão consensual é Esta Feliz Servidora de Deus, que faria hoje anos.

sexta-feira, agosto 25, 2006

Declaração de Interesses

Àqueles que tenham estranhado o post anterior, tenho que confessar que não foi da Astronomia, mas da Astrologia, que surgiu a minha preocupação. Por muito que tentem sossegar-me, ninguém gosta de ver o Regente humilhado, ou despromovido. As consequências já começaram: estou com o blogger de «O Misantropo...» avariado. Leiam estas DUAS páginas e digam lá que não tenho razão...
Bom fim de semana.

quinta-feira, agosto 24, 2006

Astrónomos Omnipotentes

.

Braque pintou junto de um cachimbo a inscrição que o negava. Obedecendo aos Astrónomos que põem e dispõem, façam os meus Leitores o favor de inscrever nesta imagem «Isto não é um Planeta»: Plutão.

quarta-feira, agosto 23, 2006

O Real e o Seu Duplo

Parece parvoíce bastante, ou cautela exagerada, que um homem com uma vida apenas seja passível de duas condenações à morte. É o que acontece com o segundo julgamento de Saddam Hussein. O primeiro tinha por objecto o morticínio de Shihitas. Este visa o massacre dos Curdos. Do seu ponto de vista, vai fazendo a parte possível, recusando dizer-se culpado ou inocente, por não reconhecer a legitimidade do tribunal. É um caso perdido. Para ter alguma dignidade salvaguardada, deveria ter morrido de armas na mão, como os filhos. O que não impede que ele devesse ser julgado uma só vez por Crimes Contra a Humanidade... no âmbito de uma actividade continuada. É que assim, parece haver uma corrida entre as comunidades mártires, para ver quem obtém condenação maior do verdugo!

terça-feira, agosto 22, 2006

A Arte e o Roubo

Até ao fim da vida nunca deixarei de me interrogar sobre se o roubo de uma das três versões originais de «O Grito», de Munch, deveu a escolha do dia 22 de Agosto ao facto de ter sido precisamente o dia do mês em que, noventa e tal anos antes, havia sido furtada a «Gioconda». Não consigo deixar de imaginar o chefe dos ladrões do quadro do Norueguês como detentor do seu próprio toque artístico, tentando homenagear um precursor e a ele irmanado pelo gosto pela Arte Pictórica. Mas talvez seja sonhar demasiado. Tudo pode ser coincidência e reduzir-se a motivação às notas de banco das cotações das pinturas. Voltemos então a mergulhar no que, sem incerteza, podemos identificar - uma envolvência que coincide com o nome deste blogue.

segunda-feira, agosto 21, 2006

A Ficção Incontrolada

Tenho de falar curto e grosso: a descoberta de sistemas bélicos de visão nocturna produzidos no Reino Unido num dos esconderijos usados no Sul do Líbano pelo Hezbollah vem demonstrar como é vã qualquer esperança de conseguir controlar o (re)armamento da milícia. Quando o governo europeu mais assanhado contra ela não conseguiu impedir que exportações proibidas, do seu País, chegassem a este destino, quem será suficientemente lírico para acreditar que um dispositivo da ONU, ou o Exército Nacional Libanês, qualquer deles célebre pela eficácia, tenham êxito em impedir o abastecimento?

domingo, agosto 20, 2006

Direitos Adquiridos?

Já havia praias só frequentáveis por Mulheres, o que, lamentando-se, ainda passa. Mas a decisão da Municipalidade de Riccione, na Adriática Riviera, de alterar as regras do jogo, interditando à parte masculina da Humanidade a frequência das areias em que até aí podia divertir-se, para compatibilizá-las com a observância radical da Sharia e não perder a riquíssima clientela islâmica que lhe dá lucros vultuosos, é duplamente grave. Por vergar interesseiramente a uma cultura oposta e por deixar que turistas condicionem a norma. Em Portugal existe protecção constitucional do princípio de que ninguém pode ser impedido de usar uma praia. Nos locais de veraneio italiano decide-se agora que equiparar o areal aos lavabos é questão de pasta. Os animais ditos irracionais também o fazem, embora quanto ao fim, que não no respeitante ao acesso. Mas aí o dinheiro não intervém.

sábado, agosto 19, 2006

Dupla Referência



No dia em que Coco Chanel faria anos, vendo-a com o pescoço assim adornado, não posso deixar de pensar, com carinho, na Miss Pearls.

sexta-feira, agosto 18, 2006

Indiferentização

Li algures, na Imprensa Portuguesa, que há muito mais norte-americanos a conhecerem o nome de um certo corpo celeste do que o de Tony Blair, ou os dos Justices do Supremo. Se a primeira ignorância não admira, tal é o desinteresse a que a maioria da População vota qualquer político fora da circunscrições em que vota, mesmo que seja o Chefe de Governo da Mãe-Pátria, é espantoso, para mim, o desprezo que atinge os mais altos Juízes, nove pessoas que, até há bem pouco tempo, eram alvo de veneração mítica, independentemente das concretizações humanas dos ocupantes do cargo.
A quebra de empatia com a Justiça costuma ser prenúncio de tempos de desagregação.

quinta-feira, agosto 17, 2006

Homens e Multidões

Vasco Pulido Valente tem hoje, no «PÚBLICO», um artigo interessante, sobre Marcello Caetano, em que até as ferroadas habituais a elementos da vida pública portuguesa passam, por serem da autoria do político abordado. No entanto, mostra-se surpreendido por o Sucessor de Salazar se ter gabado, no exílio, de ter, pouco antes da rendição, concebido um plano para cercar e esmagar a aglomeração do Largo do Carmo, estranhando que o ex-Presidente do Conselho quisesse ver-se associado à repressão sangrenta das massas, o que considera a «ignomínia».
Mas não tem nada de saber, os fracos que transigiram sempre encontraram consolo na força e valentia que poderiam ter exercitado, «se...»
E para acabar com uma manifestação não é preciso, por via de regra, lançar gás-mostarda sobre ela. Basta neutralizar, à vista de todos, meia-dúzia de cabecilhas visíveis. Sem referências a manada dispersa.

quarta-feira, agosto 16, 2006

A Angústia da Influência

.


Agostino Carracci, ramo de excelsa família de artistas faria anos hoje se o Barroco a que pertenceu o não fizesse distar tanto de nós. Pintou como ninguém Aquele que os Antigos evitavam nomear, porque Senhor dos Infernos, da irrevogabilidade e das riquezas deste mundo. Olhando a pintura, dificilmente se poderia achar mais feliz contraste entre os objectos preciosos que o rodeiam e a nudez abandonada e sem beleza do corpo. Pensando no Mundo de hoje, só resta lamentar que o termo plutocracia possa fazer sentido.

terça-feira, agosto 15, 2006

Causa e Feito

Leio no «DN» que a «vaga de incêndios provoca 'curto-circuito' no Governo». Como mudam as coisas! No meu tempo eram os curto-circuitos que implicavam risco de fogo, agora o contrário. Mas ficamos com a noção de que o executivo é altamente inflamável, por muito inflamado que o Ministro Costa, o que conta, surja a dizer o contrário. Toca a riscar fósforos!

segunda-feira, agosto 14, 2006

Emmanuelle, Emmanuelle!

.


Béart faz anos. Ninguém me inspira sentimentos tão antagónicos, consoante esteja com a boca fechada, ou exprimindo opiniões. Felizmente aqui não apresenta vestígios de loquacidade.

 Posted by Picasa

domingo, agosto 13, 2006

Prata de Lei


Era o metal que faltava e chegou logo em dobro: na Maratona masculina, versão Taça da Europa por equipas e no Comprimento, graças à Naide Gomes. Duas pratas, mas não de igual valor, pois, pese embora o esforço digno de encómio dos corredores, a competição em que foram medalhados surge sempre como um extra.
Não assim com a Mocinha, que teria batido o record de Portugal, do alto dos seus 6,84, não fora o vento soprar para além do permitido. De modo que, tendo ele estado a favor da nossa Atleta, temos de nos manifestar todos contra ele! Fechámos com chave de prata, foi o que foi.

sábado, agosto 12, 2006

O Inimigo do Interior

A Carta Aberta de alguns leaders da Comunidade Muçulmana em Inglaterra culpando a política externa de Tony Blair para o Médio Oriente do crescimento do extremismo poderá dar ligar a um infindável debate, qual o do ovo e da galinha, sobre o que motivou o quê. Mas, no momento em que o Governo anuncia uma ofensiva policial contra elementos radicais daquela proveniência, que estariam em vias de promover atentados tenebrosos, optaram pela maior proximidade dos laços religiosos que os uniriam aos iminentes terroristas, em detrimento dos nacionais que os solidarizariam com o Governo da Nação e os putativos alvos. Mostram assim alinhar preferencialmente com quem, a partir de fora, quer o mal dos que, no papel, são os seus compatriotas. Conclui-se pois que são indignos da cidadania britânica, por manifestarem uma discordância próxima da protecção do Inimigo e por ignorarem a máxima que fez a grandeza da Albion: «My Country, right or wrong».

sexta-feira, agosto 11, 2006

O Mal dos Outros

Afinal o declínio das notas escolares a Física não é exclusivo do Secundário português, também está presente no panorama britânico. Aqueles que passam a vida a olhar negativamente para o Outro podem dormir consolados.

quinta-feira, agosto 10, 2006

A Montanha e o Rato

.
Estranho País, a China, em que a fama de indiferença pela vida humana não impede um esforço de evacuação de milhão e meio de pessoas, face ao maior furacão do último meio século, o Saomai. E que é servido por uma disciplina que limitou a perda de vidas a dois casos particularmente indefesos. Altura para repensar conceitos, quando pensamos que tempestade mais fraca causou muito maior dano na Luisiana. A diferença está nos Homens. Como reforço do voto de que o total macabro não suba, deixo momento maior da fotografia do Século XX, a que foi tirada por Fritz Henle durante um furacão, no Tobago.

quarta-feira, agosto 09, 2006

Apeadeiro

O caso Liberman correu o Mundo, mas dois congressistas pouco conhecidos fora dos EUA, embora célebres dentro dele foram derrotados nas Primárias. E, por sinal, dois populistas: Cyhthia McKinney, Democrata da Georgia, uma espécie de Alberto João Jardim da Esquerda e sem obra, que defende teorias de conspiração do 11 de Setembro de fazer inveja a certos interventores da blogosfera lusa, celebrizada por esbofetear um polícia que, não a reconhecendo, lhe barrou a passagem, no Capitólio. Foi preterida, em benefício de um candidato de vistas igualmente radicais, mas conduta mais discreta.
Por outro lado, no Michigan, Joe Schwarz, um ex-senador estadual que obtivera o seu assento no Congresso ao ser o único defensor do aborto, numa primária Republicana em que os outros sete concorrentes eram contra, mas dividiram os votos, perdeu contra um dos seus adversários de então, numa disputa em que a posição oposta já não se encontrava fragmentada.
A conjugação destes resultados demonstra que os eleitores mais activos da Federação responde cada vez menos ao diálogo directo do político com a população, preferindo os que não fazem ondas.

terça-feira, agosto 08, 2006

Mealheiro


Francis Obikwelu após a sua curta e brilhante corrida para o ouro, como João Vieira na longa marcha para o bronze. Da Nigéria a Portimão duas origens hoje unidas no levantar bem alto do Nome de Portugal. Para um País Pequenino o pecúlio de Gotemburgo começa a ser interessante. Homenageemos Ambos.
.

segunda-feira, agosto 07, 2006

Brevíssima

Não brandirei aqui as dúvidas que exprimi quanto à capacidade política da Sr.ª Merkel, no momento em que ela subiu ao poder, como razão da fase impopular que hoje atravessa. É cedo, só se poderá ter uma visão mais capaz lá mais para a frente. Mas essas chicotadas das sondagens, após um aumento de impostos, demonstram, quanto a mim, uma coisa: o eleitorado conservador da Alemanha deixou de ser democrata-cristão, logo solidarista, para passar a ultra-liberalão. Da percepção deste facto que lhe venha dependerá o título do presente adequar-se apenas à extensão do post, ou, também, ao tema dele.

domingo, agosto 06, 2006

A Arte Facilita a Vida

.


A 6 de Agosto de 1945 um aparelho americano lançou uma bomba atómica sobre Hiroshima, deixando-a no estado que se vê. O pintor Standish Backus inspirou-se no tema, ao conceber o seu «Jardim em Hiroshima, Outono». Para que se veja como, mesmo filtrada pelo horror que a enforme, uma obra artística é sempre mais tolerável do que a vil realidade. Que, no caso, foi uma opção consciente pela carnificina instantânea e sequelas emergentes, de um poder muito materialista, que temeu não ter o lançamento inicialmente previsto, sobre o Monte Fuji, os efeitos de abatimento suficientes que levassem à capitulação. Há um pormenor agravante: o Imperador Hirohito tinha, dias antes, encetado, por intermédio da URSS, aproximações para a paz. A versão norte-americana atira as culpas para as costas largas de Estaline, por ter arrastado as coisas. Mas o mais certo é que Washington tenha querido testar, num alvo real, a bomba mais estúpida do mundo. Tão grave como o acto foi e é a ausência de remorso.

.

sábado, agosto 05, 2006

Baía dos Leitões

Com bandeira americana em fundo, não foi o Presidente dos EUA, mas, o que acontece com mais raridade, a Secretária de Estado Rice que se dirigiu aos Cubanos. Para lhes pedir que não deixem a Ilha. Perguntarão os Leitores se tanto interesse visa salvaguardar o futuro dos naturais na terra onde nasceram. A resposta dos cépticos aponta dois outros caminhos e a dos mais suspicazes um terceiro. Primo, tentar garantir que não fiquem no País apenas adeptos comunistas, que permitissem a sobrevivência do regime, para além de Fidel. Secondo, assegurar que uma vaga migratória de grandes proporções não venha a sobrecarregar ainda mais a comunidade da Flórida. E, para os desconfiados, um ensaio de Rice à frente dos destinos do Ocidente, pois é quem W gostaria de ver suceder-lhe. Não deve ter sorte, pois as bases americanas não estão para aí viradas, julgo. A menos que...
...A menos que em Novembro os Republicanos percam as duas maiorias no Congresso. Então, os militantes e os patrocinadores poderiam procurar uma solução fora dos políticos com experiência eleitoral. Mas seria bom que em Washington se decidisse, em vez de cálculo político, justificar o nome da sua Responsável pelo Estrangeiro e o título deste post, acabando com o embargo a Cuba, nas consequências que tem sobre a vertente alimentar, uma velha luta do Papa João Paulo II. É que um êxodo cubano pode não ter tanto raízes no cérebro como no estômago...

sexta-feira, agosto 04, 2006

Ponto de Retorno

.


4 de Agosto, lembrança de Alcácer-Quibir. De como por muito baixo que se caia o Futuro pode trazer um ressurgimento, ontem, como hoje.

quinta-feira, agosto 03, 2006

As Fraquezas de Uma força

O Hezbollah e Israel dizem querer uma força de interposição para encetarem um cessar-fogo. O Sr. Chirac diz querer um cessar-fogo para iniciar a interposição de uma força. Os anti-sionistas radicais puseram a correr na net a versão de que a Sr.ª Merkel teria transmitido ao Presidente francês a mensagem de que se deixasse de originalidades. Mas com que lógica? Afinal a Menina Rice só quer que passem duas semanas, para que o problema se resolva por si. Franco gostava de citar o velho ditado galego sobre as duas pilhas da sua mesa de despacho: «Estes são os problemas que o tempo resolveu, estes os que o tempo há-de resolver». E Santo Agostinho lembrava que, não havendo ainda Mundo, nem Tempo, Deus fazia o próprio Tempo. De israel era o povo de Jeovah. E os americanos são uma nação de Fé. Se quiserem saber quanto tempo durará a guerra do Líbano, telefonem para o Estado Maior hebraico e perguntem como decorrem as operações.

quarta-feira, agosto 02, 2006

O Alvo Errado

O Secretário do Interior britânico, Reid, mostra-se tão ansioso em recambiar para o Zimbabwe uma série de refugiados no Reino Unido que conseguiu uma decisão judicial onde se lê que« só por si, ser do Zimbabwe e branco não significa que o peticionário do asilo corra efectivo risco». Não é verdade: pela legislação aprovada pelo Sr. Mugabe, ser branco é razão para ser privado da sua propriedade e tentar defendê-la é suficiente para ser preso e forçado, como procurar asilo tem sido suficiente para acusar de traição.
Em vez de se livrar das vítimas, o Governo de Sua Majestade devia remover o poder hediondo que as fez. Mas ainda deve haver contas a ajustar, por causa da Independência unilateral de Ian Smith...

terça-feira, agosto 01, 2006

A Maneira Mais Fácil

Quando todos aguardamos os resultados de uma anunciada vacina contra o cancro, os investigadores prometem-nos uma outra, contra a obesidade. Não contestando a utilidade em anomalias glandulares consideráveis, há que deixar um protesto por prometer tornar relativamente esbeltos os indivíduos, através de uma pica. O candente problema, que atormenta a maior parte dos adolescentes norte-americanos e uma boa parte dos portugueses, deve ser atacado nas suas causas: alimentação sem qualidade nem horário adequados, sedentarismo levado ao extremo da permanência paroxística frente a um ecrã. Porque, não tenhamos dúvidas, com as promessas que encerra, todas as potenciais e reais vítimas da anorexia quererão recorrer essa prátia de substituição. As contra-indicações confessadas pelos especialistas falam do perigo de a linha comprometer o cérebro; mas isso não demoverá muita gente que sinta nada ter a perder...