!DOCTYPE html PUBLIC "-//W3C//DTD XHTML 1.0 Transitional//EN" "http://www.w3.org/TR/xhtml1/DTD/xhtml1-transitional.dtd"> Calma Penada: Outubro 2006

Calma Penada


«O optimismo é uma preguiça do espírito». E. Herriot. + «Uma assombração que se preza não pode ser preguiçosa. Buuuh!». O Fantasma do Misantropo.


terça-feira, outubro 31, 2006

Dignidades

.


Descoberta que foi a noção de si que os elefantes têm, mirando a imagem que o espelho deles reflecte há que denunciar como o mais impenitente dos optimismos a ideia de que essa característica partilhada os torna quase iguais a nós, dado que a sua superioridade não é contestável: ao mirarem-se não procuram, ao contrário dos humanos, que a figura devolvida seja lisonja, logo, que os engane. E somos, para mal dos nossos pecados, muito menos resistentes às formas de Sociedade que nos querem impor do exterior.

A foto é de Sandy Arroyo.

segunda-feira, outubro 30, 2006

Postal Propiciatório

.


Em mais um aniversário de Alfred Sisley, espera-se que a sua «Paisagem da Outono» sirva de exemplo ao tempo e local em que nos movemos, muito cinzentos, nos últimos dias.

Posted by Picasa

domingo, outubro 29, 2006

Lágrimas de Crocodilo

Claro que o incêndio de um autocarro, pelos contestatários celebrantes da destruição que conta um ano, ao queimar gravemente uma Mulher, é um horror. Mas essa constatação da semelhança de alguma actualidade gaulesa ao pior Haiti de sempre não impede que se constate a alegria camuflada de revolta com que os Socialistas se atiraram ao Sr. Sarkozy, bem como as declarações veementes dos Governantes da maioria, que não apontam os culpados, parecendo tratar-se de reacção a alguma catástrofe natural, como se um raio tivesse sido o culpado, por exemplo. Perante isto, só se vê justiça na designação dos responsáveis dentro das fileiras da FN. O que é triste, independentemente das simpatias, já que esse devia ser o arco consensual supra-partidário, sem tratamentos de favor.

sábado, outubro 28, 2006

A Ilusão do Poder

.


Aniversário da Marcha sobre Roma, ou de como uma coligação de forças hegemonizadas pela que dispunha de melhor milícia colheu o fruto do Poder que lhe caiu de maduro na cesta, com um acto que não foi golpe de estado, senão a mais eficaz das manifestações. Ao Fascismo deve-se ter atalhado a completa anarquia, com alguns fogachos de violência que a Itália vivia, bem como a restauração do orgulho nacional de um País que se sentia burlado nos sacrifícios que fizera pelos outros e verdadeiros vencedores da Grande Guerra. Os Quadrúnviros que na imagem ladeiam o Duce, Bianchi, De Bono, De Vecchi e Balbo representavam os interesses dos sindicalistas e da Imprensa descendente da Esquerda intervencionista, um, os militares, outro, as ligações à Corte, o terceiro e os veteranos de guerra desmobilizados e contactos garibaldinos, o último. O erro principal veio a ser reunirem-se num partido - que por vir a tornar-se único não deixava de o ser - e imporem-no ao Rei, em vez de personificarem essas representações em colaboração com governantes escolhidos pela Coroa. Ou seja, antes da lamentável aliança alemã, o grande pecado de Mussolini foi determinar uma marcha sobre Roma, em vez de colaborar com Roma sobre a marcha.

sexta-feira, outubro 27, 2006

Da Soberania

.


Eu sabia que uma povoação em que as Mulheres detivessem o poder absoluto, mais rudemente enunciado do que aquele que já possuem, só poderia ser uma chinesice inventada por um homem. É uma fantasia como outra qualquer.
Bom fim de semana.
A imagem é uma ilustração de «A CIDADE DAS MULHERES», de Christine de Pisan, onde se defendia, contra o «ROMAN DE LA ROSE», somente a «igualdade».

quinta-feira, outubro 26, 2006

Hors Modernité

.


Optei, deliberadamente, por publicar esta «Modernidade» por consagrar a generalização dela até a quem menos afectado será, à partida, por este problema concreto. Como não nos alarmarmos com a nova de que os homens que mais imoderadamente usam os telemóveis, correm riscos acrescidíssimos de infertilidade, pela acção nociva que as ondas electromagnéticas dos aparelhos têm sobre o esperma? Já se sabia que o vício de se ligar a todo o instante piorava a qualidade da vida. Vê-se agora que pode mesmo extingui-la. Que todos aqueles que não são condicionados por votos específicos pensem bem, antes de voltar as costas ao seu prolongamento vital.

quarta-feira, outubro 25, 2006

O Mal Pela Raiz

.


Foi num 25 de Outubro medieval que Charles Martel salvou a Aquitânia e o Ocidente, desbaratando os invasores muçulmanos em Poitiers. Tinham estes decidido infringir os interditos do primeiro dia do Ramadão e dar batalha na data proibida. Que esse sacrilégio face às normas por que se regem faça os expansionismos islâmicos de hoje baquear, como naquele sempre digno de recordação precedente histórico.

terça-feira, outubro 24, 2006

A Criatura

.


O segundo Cabot Lodge disse que esta organização foi veita para «evitar que fôssemos para o Inferno, não para nos levar ao Céu». Mas é duvidoso que mesmo estes objectivos modestos tenham sido cumpridos. Durante mais de cinco décadas os vetos dividiram o Mundo em dois. Hoje a ameaça parece menor por os interesses não estarem agrupados meio por meio. Verdadeiras operações de combate, só no Katanga, contra mercenários. É muito pouco. E a justificação de ter uma instância de acreditação, defendida pelo Prof. Adriano Moreira, não substitui com vantagem as representações nos diversos países e, nos casos em que elas inexistem, deveria ser assegurada por uma instância que não permitisse o circo da Assembleia-Geral ou a corrupção do funcionalismo. a ONU nasceu a 24 de Outubro de 1945. Não merece parabéns, porque nunca conseguiu impor-se a um poder um pouco acima da média.

segunda-feira, outubro 23, 2006

Razões e Desrazões

.


Nunca é boa política proibir a exibição de pinturas meritórias, muito menos em manuais escolares. Mas a decisão do Ministro da Educação turco de erradicar dos livros de estudo a «Liberdade Guiando o Povo», de Delacroix é inaceitável e confirma todos os vícios levantinos de que o seu Governo é acusado. Tivesse ele alegado que a Revolução e a Liberdade não podem coexistir, ou que uma incompreensível coincidência delas apresentaria uma falsidade de peitos, as ideais fontes de vida, maior do que carradas de silicone, perceber-se-ia. Mas não. A extirpação deveu-se ao facto de os seios estarem nus. Respondam lá os crentes nesta liberdadezinha se querem ter na UE um Estado-Membro que a obrigue a andar escondida...

domingo, outubro 22, 2006

O Feitiço

.


Catherine Deneuve faz hoje anos. Disse «Os homens são bons, mas as mulheres são magia». Fico contente por agradar, mas quanto à segunda parte da frase, acho que ela ficaria muito melhor na minha boca. Parabéns.

sábado, outubro 21, 2006

A Grande Mulher Por Trás...



No dia em que também esse multifacetado inventor e economista que foi Alfredo Nobel faria anos, julgo que o melhor presente será pô-lo perto da baronesa Von Suttner, grande influência e possível paixão, nacionalista inflamada e apoiante do acossado Poder Czarista, apaixonada pela Paz de cujo prémio instituído pelo Amigo foi inspiradora e galardoada. Que a efeméride traga algum bom preságio para este toldado Mundo.

sexta-feira, outubro 20, 2006

Muito Barulho Para Nada

Onde tanta gente vê concordância execranda de Putin com a inqualificável conduta de que é acusado o Presidente Israelita, noto eu apenas ironia e desaprovação.
Mas o sentido de humor não é o forte do antagonismo político, salvo na sátira.
Vou sair. Divirtam-se no weekend.

quinta-feira, outubro 19, 2006

Olhos Para o Desemprego

Os sonhos de Wells e Carpenter ameaçam tornar-se realidade, com conforto acrescido: a invisibilidade ao alcance de todos, sob a forma de um capote, devidamente amovível. Fala-se em usos militares, quando o óbvio seria expressar temores quanto ao acesso de criminosos a esta arma. Mas o caso implica um problema mais profundo: no momento em que os heróis das gentes são aqueles a quem os Media proporcionam maior visibilidade, a protecção delas parece ficar remetida aos que aproveitarão a ausência dela. Tempos difíceis, em que a naturalidade notória de um Homem de Espinha Direita, visto e reconhecido como tal pelos vizinhos, está condenada a ser medíocre ou imprestável...

quarta-feira, outubro 18, 2006

Debate Viciado

Só para rir, o detestável Fabius mascarando-se de Francisco Louçã, dizendo que a grande solução para a frança é pôr os ricos e, sobretudo, as empresas, a pagar a crise. DSK a apontar como remédio miraculoso a privatização de tudo o que ainda não esteja, pensões incluídas, teme-se. Perante isto, Ségolène só tinha de deixar-se ir. Mesmo assim parece que não foi entusiasmante. A defesa de ideias simpáticas como a ligação ecológica e a penalização das empresas que se queiram deslocalizar foi tão tépida que não terá entusiasmado os militantes socialistas, os que, para já, precisa de ganhar. Mas enquanto os rivais se enterrem... As primárias oferecem algumas vantagens no que tange a driblar a prepotência das direcções partidárias, mas estagnam a sinceridade, porque ninguém quer alienar o apoio de uma massa crítica mais ideologizada do que o grosso da população.
Resta saber se não estará a queimar a imagem para a final. É que a Sarkozy não falta energia.

terça-feira, outubro 17, 2006

Isto é um Post

Estou com um mau perder terrível por causa da desgraça de Glasgow.

segunda-feira, outubro 16, 2006

Os Excluídos da Festa

.


De Magritte: «Menina Comendo um Pássaro: o Prazer».
Eu sei que as coisas são como são. Mas, no dia da Jornada Mundial da Alimentação, o meu pensamento vai para dois grupos de inocentes, de alguma forma de pólo oposto - os que não têm ao seu alcance o mínimo necessário e os que morrem para que outros os mastiguem.

domingo, outubro 15, 2006

Precocidade Salvadora

.


No dia de aniversário de Nietzshe tenho de agradecer a uma Professora de Filosofia, Católica, que, vendo nos meus catorze anos um excesso de afirmação própria e potencial de dúvidas e hostilidades à Moral Cristã, me sugeriu a leitura de «Assim Falava Zaratustra». Penso que terá sido o momento tão antecipado da contacto com a obra dele que permitiu que me não acontecesse o que sucedeu a Amigos íntimos da Epoca: utilizá-lo, com a mais limitada das interpretações para caução das clivagens da adolescência. Abriu-me os olhos para o valor criativo dos gregos, mas dispus, ainda antes de chegar à Universidade, do tempo e dos complementos que me permitiram integrá-lo num património cultural complexo. Fez-me ver a desigualdade humana, mas com a possibilidade de escapar à literalidade de Senhores e Escravos, a qual, numa mente jovem, é tentação para legitimar o ilegitimável. E Deus? Dou-Lhe graças por me ter feito ler o publicitário da Sua pretensa morte antes dos 18-19 anos. É tudo.

 Posted by Picasa

sábado, outubro 14, 2006

Carga Pesada

.


«A Paz», segundo Liliane Proux. Dada a sonoridade anglicizada do seu apelido, teme-se que a eleição do Sr. Moon para Secretário-Geral da ONU seja, realmente, querer a Lua. Além de que um seu compatriota metamorfoseado em chefe de seita e puxador de cordelinhos nos EUA não ajuda grande coisa. Mas era difícil uma escolhacom experiência diplomática, que contentasse muitos na vez da Ásia ter o seu ocupante da cadeira. Só que, com a Coreia na ordem do dia, o provérbio «Santos de casa não fazem milagres»... Sério, sério, Pyongyang pode sempre acusá-lo de parcial. Mas talvez fosse, desde logo, grande ingenuidade admitir que partirá das Nações Unidas a solução do problema.

sexta-feira, outubro 13, 2006

O Colosso Ruiu

Aquele candidato Democrata que eu penso ser imbatível por qualquer Republicano, após meses de recolha de fundos, desistiu de apresentar-se às Presidenciais de 2008. Ninguém sabe o que se terá passado. Poderá ter receio de que se descubra algo sobre si, o que não é provável, por parecer certinho. Ou terá chegado à conclusão de que lhe era impossível vencer as Primárias, porque bastante moderado, face às bases que nelas votam, característica perigosa, como demonstrou o Caso Lieberman. Mas eu aposto em como este ex-governador da Virgínia, bastante novo ainda, se estará a fazer-se à vice-presidência. Resta descobrir se o vencedor, Hillary à cabeça ,estará pelos ajustes.
Bom fim de semana.

quinta-feira, outubro 12, 2006

Prémios Nobel

Um, bem verdadeiro, o da Literatura, foi atribuído a um escritor turco, na precisa semana em que, numa roda de Amigos, nos tínhamos mostrado incapazes de nomear algum vulto das Letras daquele País. Jamais tendo lido uma linha da obra do Laureado, não me pronunciarei sobre ela, que poderá ser muito merecedora. Já não farei outro tanto acerca da justificação da escolha. Ao eleger um literato proveniente da parte europeia da Turquia, pequena em extensão, embora não em nome ou proeminência, sublinhando a influência da busca da «melancólica alma da sua cidade natal, com a descoberta do encontro e entrelaçamento de culturas», em vez de realçar a sua heterodoxia relativa a Arménios e Curdos, a Academia Sueca está a mandar uma mensagem favorável à entrada de Ancara na UE, com o rabo de fora. Há muita maneira de justificar um galardão e a escolha das palavras é a melhor que o Governo poderia pretender, sendo aquele o premiado. Na Assembleia Nacional Francesa, entretanto, foi votada a já célebre criminalização do acto de negar o genocídio arménio. Já disse que, a meu ver, a medida não tem pés nem cabeça, por não gostar de proibição de opiniões. A U.E. reagiu com grande frieza, o que dá força à minha suposição de que visa obstar à adesão da Nação predominantemente asiática. Se os turcos retaliarem com sanções comerciais que afectem as trocas com um Estado-Membro, poderá estar definitivamente comprometido o alargamento. Um alívio, mas não a solução ideal, que seria antes a da parceria privilegiada da Sr.ª Merkel, por diminuir a hostilização. Mas se nem para tal servir, sugiro a criação para esta medida do Prémio Nobel da Asneira.

quarta-feira, outubro 11, 2006

Índices Indiciadores

Há coisas que, de todo, me escapam. Sempre vi o divórcio, por muito concorde e amistoso que seja, como um falhanço, mais que não fosse de uma perspectiva que se alimentara. Pois a imprensa e subimprensa de hoje congratulam-se com o facto de as Mulheres estarem «mais activas», serem hoje «mais autónomas» e «terem mais poder de decisão», baseando-se, para o efeito, na estatística que aponta para que 70% dos divórcios sejam começados por Elas. Em vez de lamentar um inêxito, deliram com ele, imagino porque o pensam como uma libertação mais de cadeias, em vez de o sentirem como aumento da impaciência, intolerância e indisponibilidade, quer dizer, um sinal de retrocesso, em vez de progresso. De tanto se viciarem na Guerra dos Sexos, acabam por colocar o termo de um casamento em estima mais elevada do que o seu princípio...
Oh tempos!

terça-feira, outubro 10, 2006

O Desrespeito Absoluto

Não estimo o suicídio, quer por razões religiosas, quer por motivações estéticas. Mas dito isto, devo repudiar aqui a atitude de absoluto desrespeito da Organização Mundial de Saúde, ao assimilar a morte auto-infligida a doenças psíquicas, cujo diagnóstico e tratamento prpopõe incrementar, para evitá-la. Para além de uma ligação difícil de comprovar ao alcoolismo, é a negação da capacidade de escolha, a mais radical despromoção do Homem que organização deste jaez pode promover. Lavro o meu protesto, não em nome dos suicidas, que não me mandataram, mas de uma ideia de autonomia individual, que o totalitarismo insinuante quer estilhaçar.

segunda-feira, outubro 09, 2006

Acuso a Democracia!

Collor e Lula podem dizer que não chegaram a ser condenados judicialmente. Berlusconi pode tentar impingir a conversa de perseguição judiciária. O Sr. Alain Juppé não pode, porque foi condenado a 14 meses de prisão, por participação nas falcatruas do patrão, o «escroque» que o eleitorado francês preferiu ao «Facho». Voltou agora, após esse ostracismo que é a ineligibilidade, à Presidência da Câmara de Bordéus, com uma pergentagem record de votos - 56%. Acuso todos os que nele votaram - e o regime que o permituiu - de cumplicidade com o crime.

domingo, outubro 08, 2006

Querer, Sem Poder Nem Mandar

A Europa paga as consequências da sua eficácia relativa, ao ter de ceder a um acto legislativo norte-americano que obriga à cedência de informações de passageiros de companhias suas voando para a território da União. Lá se conseguiu salvar a face, sendo os dados transmitidos pelas companhias e não sendo automaticamente sugados pelas agências do Tio Sam, o que é a salvaguarda do mínimo de aparência de soberania exigível. Mas já não posso estar de acordo que sejam omitidas informações relativas à religião dos embarcados. Sabe-se como a principal ameaça de hoje, dentro do terrorismo, surge de radicais islâmicos. Vigiá-los não corresponderia a dar todos os muçulmanos como teroristas, apenas a reconhecer que a probabilidade de neles serem encontrados autores de atentados é maior e justifica atenção especial. No fundo pouco importa, pois os nomes permitirão o controlo na esmagadora maioria dos casos e porque duvido de que as companhias tivessem conhecimento pormenorizado do culto dos clientes, em muitos deles. É, no entanto, uma preocupante demonstração de como, na Europa institucional, a tentativa de não irritar religiões minoritárias passa à frente do valor da segurança.

sábado, outubro 07, 2006

A Água e o Capote

Não é só o sacudir dela que Lula agora faz. Água meteu ao, sobranceiramente, prescindir dos debates. Capote teme apanhar de Alckmin na segunda volta que aí vem. Mas descartar-se assim das culpas da estratégia seguida soa pior que mal. Só há uma coisa pior do que culpar de um inêxito os jornalistas: é atribuir a responsabilidade aos assessores. Mesmo quem o acredite ficará com péssima impressão, a de que o candidato é um político fraco, uma marioneta manejada por aqueles que estão na sombra, cujo papel se pensava ser aconselhar e se constata que é, afinal, decidir. E, para cúmulo, há opinião mais do que formada e negativa sobre a honestidade dos conselheiros do homem...

quinta-feira, outubro 05, 2006

A Grande Diferença

Cada vez gosto mais de Mme. Royal. Já tenho frisado o facto de o meu Nacionalismo, se assim o podemos chamar, ter por base e objectivo a unidade e a união do Todo Comunitário, ao contrário dos de Alguns Amigos que defendem a depuração em graus variáveis de parte dele para salvaguarda da homogeneidade. Ora, a Candidata Socialista francesa tem multiplicado as referências num registo mais do que compatível com os meus valores, contrariada pelos seus rivais, no caso Strauss-Kahn, que apelam ao espírito de dissenso e servem as influências e os esquemas supra-nacionais. Tenho fortes dúvidas de que, no quadro institucional da actualidadade, qualquer acção possa desenvolver-se num ritmo transformador, mas há que relevar a intenção, como as oposições dos hediondos intternacionalistas que agora se filiam na Mãe de Todas as Calamidades, a Revolução Francesa, de onde se ejaculou o próprio conceito de "Esquerda".

quarta-feira, outubro 04, 2006

O Silêncio dos Inocentes

.


Quis uma coincidência que Lucas Cranach O Jovem tenha o seu dia de nascença no mesmo 4 de Outubro em que se celebra internacionalmente o Dia do Animal. Pareceu-me apropriado colocar «O Domador de Cavalos», como ilustração das alegrias e horrores da relação entre Homens e Bichos. Prefira-se sempre a festa à chibata. Essa vai melhor em alguns lombos ditos humanos.

terça-feira, outubro 03, 2006

As Palavras e as Coisas

Fico possesso de cada vez que leio ou oiço notícias que dizem que "sequestradores executaram reféns", o que voltou a acontecer no caso das miúdas Amish mortas por um facínora que lhes invadiu a escola. Execução seria termo adequado à consumação da justiça, através do cumprimento de uma sentença. Para trabalho de bandidos só "assassínio" calharia.
Este caso é estranhíssimo. Todos os de desequilibrados que matam crianças o serão, mas os motivos aduzidos não coincidem. A mulher do criminoso diz que ele teria confessado saudades dos tempos em que molestava parentes. Mas as meninas não eram da família dele. Terá dito por telemóvel que se ia vingar de algo que lhe teriam feito na infância. Mas certamente que não foram as vítimas a fazê-lo. E a indiferenciação na selecção das infelizes parece contrariar a ideia de que tenha sido facto imputável à família de alguma delas.
Tudo isto me faz desconfiar do que ninguém ousa afirmar: que o acto hostil tinha como alvo a seita religiosa. Coisa estranha, pois não são dados a violências. Mas pode sempre ter havido um caso isolado, ou a imaginação doentia do autor da proeza pode tê-lo concebido como tal.

segunda-feira, outubro 02, 2006

Não Se Escolhe a Família...

Más Notícias para a Belle Ségolène: Jack Lang desiste da corrida presidencial, muito por não ter tido facilidade em assegurar as assinaturas necessárias, ficando menos um a dividir o voto contra si. Depois de Jospin também ter retirado antes de, realmente, entrar, ficam os dois candidatos com algum peso: DSK e Fabius. Mas o pior veio dos seus: Um dos irmãos acusou o outro de lhe ter dito que fora o autor do atentado à bomba contra um navio ecologista em que pereceu um fotógrafo de origem portuguesa. Duas reflexões: é triste que um agente secreto não se saiba calar, mesmo com os manos. E não se percebe que o confidente tenha deixado passar tanto tempo para revelar o facto, até ao momento em que a Irmã está num despique importante. Ou percebe-se bem demais. Os interesses financeiros a que um dos opositores está ligado e os truques sujos que povoam a carreira do outro abrem auto-estradas de suspeição...

domingo, outubro 01, 2006

Dois Gregos?


Não, não me refiro à oportunidade de jogarem em simultâneo os dois médios do Benfica. Neste dia de El Greco recordo os dois duvidosos gregos que foram: ele próprio, consagrado como espanhol e São Lucas; o Colaborador Bíblico na pele do Qual se auto-retratou, proveniente de Antioquia, não se conseguindo consenso se seria helenizado apenas culturalmente, ou também em termos étnicos. Seja como for, não foi inocente esta encarnação do Autor na pele do Santo que veio a ser patrono dos Médicos, mas, igualmente dos pintores. E aquilo em que gostaria que atentassem é na inconsciente falta de modéstia do Artista, que confere muito maior profundidade ao olhar de outro retrato que fez da sua pessoa, do que naquele em que enverga a carapaça - e carapuça - do Evangelista. Mas, até por estas cambiantes, um Grande do Pincel. E com uma aura transtemporal!